sexta-feira, 30 de setembro de 2011



 
A alegria do Senhor é nossa força

Muitos confundem barulho, com júbilo e alegria e não conseguem assimilar a idéia de que "pode haver júbilo intenso sem barulho". É comum e tenho visto e, principalmente, ouvido pessoas defenderem o barulho, pelo mesmo, ser um sinônimo de alegria. 'Frases como: - Esta reunião está morta, levanta o som!”

Desejo fazer uma consideração, levando em conta, primeiramente a palavra de Deus e em segundo lugar, alguns aspectos físicos.

Júbilo vém da alegria que é um dos frutos do Espírito, Gál. 5:22. Portanto, é algo que nasce de dentro para fora e não o contrário. Esta alegria do espírito deve ser a fonte de toda expressão interna e externa na vida da igreja no que diz respeito a louvor, exaltação, música, risos, danças, júbilo em qualquer intensidade, alegria esta que faz com que o povo de Deus, tenha identidade única neste mundo, que o difere da sociedade egoísta e triste, na qual vivem. Ao declararmos que o Espírito Santo de Deus, habita em nós, estamos declarando, que devemos dar frutos de alegria do Espírito em nossa vida.

Que frutos são estes?

a) Certeza em Cristo Jesus de uma vida de alegria.

Assim como a vitória é uma certeza da qual nos apropriamos em nossa vida Cristã, a alegria, também o é - antes de ser uma expressão que toma forma, alegria foi algo conquistado por Jesus na cruz ­Ele se fez triste, para nos dar a verdadeira alegria, a alegria da salvação.

A razão pela qual os nossos irmãos cantavam, enquanto eram queimados com suas famílias nas fogueiras romanas dos primeiros tempos da igreja; era por causa da força desta alegria de ser salvo, redimido das trevas para a luz, pois Paulo mesmo diz: - "regozijai-vos sempre"- este sempre queria dizer, mesmo em meio as adversidades ou mesmo em meio ao sofrimento e morte, não percam a alegria da salvação.

b) Expressão em nossa vida desta alegria

Eu não consigo entender e muito menos viver uma alegria que é apenas interior, sem que a mesma seja expressa em meu rosto (Salmo 126:2)

Não estou falando de estar alegre, mas principalmente de expressar o ser alegre. Quem é alegre como Fruto do Espírito, gradativamente afasta do seu caminho todo o espírito de tristeza, ansiedade, incerteza, angústia, desespero que são tônicas na vida das pessoas que nos cercam.

Disse Jesus "... “Para que nossa alegria seja completa...” Um discípulo de Jesus deve ter esta certeza, de que o próprio Deus quer que nossa alegria neste mundo seja completa, portanto, Ele mesmo fará o possível para completá-la em nossas vidas, mais uma razão para nos alegrarmos sempre e vivermos expressando esta alegria, pois quanto mais somos alegres em nossos lares, escolas, trabalho e mesmo em situações adversas da nossa vida, podemos saber que estamos debaixo da mão de amor e cuidado de Deus.

c) Viver alegre é viver em fé

A alegria na qual vivemos é gerada e sustentada pela fé, "pois sei em quem tenho crido e sei que Ele é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, segundo o seu poder que opera em nós" - disse Paulo, pois ele conhecia a Deus e este conhecimento de Deus lhe trazia e deve trazer a cada um de nós, esta alegria que é profunda e perene, e que é sustentada pela graça da qual recebemos a vida de Deus. A fé em Deus gera em nós fidelidade e ao expressarmos nossa alegria, estamos sendo também fiéis ao Senhor e à Sua palavra.

d) Alegria na adversidade

As circunstâncias nas quais, muitas vezes nos encontramos não nos propiciam a expressar alegria, mas isto não quer dizer que a perdemos. Muitos confundem o estar alegre com o ser alegre. Cristo nos leva a verdadeira alegria, constante, infinita, porém há situações que nos deixam tristes e a palavra nos ensina até a "... chorar com os que choram..." e não podemos esconder o fato. Creio que dificilmente nos reuniremos para chorar uns com os outros, levando em conta que a tristeza é uma exceção. Pode haver situações de tristeza e contrição para a igreja, mas isto não rouba a verdade de que o culto a Deus em toda sua plenitude deve ser um santo transbordar de reverência e alegria. O salmo 16: 11 nos fala que na presença de Deus há plenitude de alegria e delícias, Paulo fala em regozijai-vos sempre. Assim entendemos que uma das tônicas do nosso culto a Deus deve ser esta consciência do vivermos na presença de Deus, que nos dá júbilo e profunda alegria.

Como vivermos em alegria viva?

a) Entendemos que o Espírito Santo que está em nós é um espírito alegre. O Espírito Santo é o grande agente da alegria de Deus neste mundo, uma de nossas funções é promover a verdadeira alegria no coração dos santos e uma inquietação no coração dos não crentes para que tenham sede de viver esta alegria.

b) Identificar os focos por onde o inimigo infiltra a tristeza. Durante muito tempo em minha vida eu me alimentei de uma tristeza que vinha pela música, e quando Deus me salvou, pude identificar isto e encher minha vida de louvor. Para outros vem pelo seu temperamento de introspecção e de ficar na "sua", ao identificar o foco, deve buscar estar junto dos irmãos em comunhão e romper com todo isolamento.

Algumas culturas são tristes e melancólicas e com elas devemos romper. O diabo tem em filmes, vídeos, música, leitura, noticiário, novelas, etc, e seus agentes para macularem e roubarem nossa alegria.

c) Tomar uma posição de alegria no Senhor. Várias vezes em minha vida eu tive que tomar posição de louvor e adoração na presença de Deus mesmo contra a situação pela qual ou estava passando o que me fez crescer em Deus e fortaleceu sobremaneira, minha fé. Hoje eu vejo que Deus permitiu até aquelas situações para que a verdadeira alegria brotasse em meu coração e Ele pudesse assim controlar todas as coisas.

d) Compartilhar a vida e o amor de Deus com outros. Quando aprendemos compartilhar o amor de Deus com os outros, isto nos dá uma tremenda alegria, pois estamos cumprindo um dos mais sublimes propósitos de Deus para nossa existência:

 “ALEGRAI- VOS, POIS NO SENHOR"

Deus abençoe

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Mensagem de Deus para você

Jesus ama você

Lagrimas no Olhar [[ Mensagem ]]

Quando as lagrimas molham nosso rosto? Quem nós ajudará?

Muitas vezes, como já aconteceu comigo e acontece às vezes, nos sobrevêm algumas tribulações as quais nem mesmo as pessoas que estão próximas de nós consegue perceber ou nos ajudar e nós nos sentimos sozinhos e não há ninguém para dividir conosco esse sentimento.
 A bíblia nos diz que até o próprio Jesus passou por isso no getsêmani, quando ele estava orando instantes antes de sua morte, a bíblia relata que Jesus estava sozinho e que ele orou e chorou com uma intensidade tão grande que ele chegou a transpirar sangue. Muitas vezes nós nos derramamos em lágrimas e estamos sozinhos, mas tudo isso é para que nós venhamos a recorrer a quem pode nos ajudar quem é o único que sabe o que  nós estamos passando e é o único que pode aliviar a nossa dor e dar refrigério à nossa alma que é o Senhor Deus, aquele que te criou e me criou aquele que sonda e conhece os nossos corações, é a Ele que você tem que recorrer nos momentos mais difíceis e solitários de sua vida. O salmista disse que uns confiam em carros, outros em cavalos, mas nós, porém, fazemos menção do nome do Senhor
(Sl 20:7). É essa a confiança que nós temos que ter em Deus não devemos confiar no que as pessoas nos oferecem porque mesmo que elas tenham boas intenções para conosco elas são falhas e vão, sem dúvida, nos decepcionar um dia, mas Deus é perfeito e, ainda que aos teus e aos meus olhos ele pareça estar demorando,

Ele não falha, não tarda e nem chega atrasado nem adiantado, o tempo de Deus é perfeito em nossas vidas, não vamos recorrer a carros nem cavalos nem ao homem, mas vamos fazer menção do nome do Senhor que é quem nos dá refrigério que é quem diz que está conosco todos os dias de nossas vidas até a consumação do século, vamos esperar nas promessas de Deus, e fazer como diz a letra de um louvor que diz: é só esperar acontecer, é só continuar e não deixar que as lágrimas embacem o olhar, e não deixar que a tristeza tire a força do caminhar...
 Espere o tempo de Deus para a sua vida e toda porque a vitoria é sua em nome de Jesus, mesmo que ninguém possa contemplar a sua luta, Deus está contemplando e assim como Davi teve que lutar batalhas que ninguém viu(contra um urso e contra um leão), assim também nós temos que lutar batalhas sem ninguém ver porque mais para frente virá um gigante e nós vamos mostrar do que somos capazes e vamos a ele em nome do Senhor dos exércitos, porque a vitória é nossa ninguém pode nos tirar isso.
 Então creia que nada está perdido que há uma solução para o seu problema, porque Deus vai fazer algo maravilhoso na sua vida.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O Quebrantamento e o perdão de Deus - Parte 1



A CERTEZA DO PERDÃO DOS PECADOS
De acordo com a profecia de Daniel, por que Jesus morreu?
“JESUS será morto injustamente”. Daniel 9:26, Versão Nova Tradução na Linguagem de Hoje.
Em Sua morte na cruz, Jesus foi morto injustamente. Ele morreu não para pagar o preço do Seu próprio pecado, mas para pagar o preço dos pecados do mundo inteiro.
Como podemos saber que todos os nossos pecados são perdoados por Deus?
"Justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que crêem... TODOS PECARAM... [e são] JUSTIFICADOS gratuitamente POR SUA GRAÇA, por meio da redenção que há em Cristo Jesus... MEDIANTE A FÉ, PELO SEU SANGUE". Romanos 3:22-25
Os pontos chaves nesses versos são: "Todos pecaram" mas por causa da "graça" de Deus, todos são "justificados", mediante a "fé" no poder purificador do "sangue" de Cristo. Quando somos justificados, Deus nos declara inocentes, eliminando a culpa de nossos pecados passados. E Deus nos declara justos; "justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo".
Todos nós que estamos exaustos pela busca de sermos suficientemente bons, a fim de nos elevarmos a nós mesmos, podemos encontrar descanso real na aceitação graciosa de Cristo. Ele promete: "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso" (Mateus 11:28). Todos nós que estamos sobrecarregados pelas cicatrizes do passado e pelas dores de um sentimento de inadequação e vergonha podemos encontrar paz e completude em Cristo.

O Perdão Divino no livro do profeta Isaías, 1:18, lemos: “Vinde e arrazoemos, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como escarlata eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.”

O perdão divino vai muito além do que simplesmente declarar alguém inocente. O perdão de Deus não só remove a condenação, como oferece poder para que o pecador não continue na prática do pecado. O perdão tem que ver com a transformação do interior. O perdão não é somente necessário para eliminar a culpa por estarmos manchados. O perdão de Deus vai além. Ele transforma à semelhança da cor da neve ou da lã, simbolizando pureza.
Na triste experiência de Davi, rei de Israel, ao cometer uma sucessão de pecados iniciados no adultério com Bate Seba, foi ele despertado pelo profeta Natã. Reconhecendo seu pecado, o inspirado rei escreveu o Salmo 51. Aí encontramos três pedidos específicos que nos ajudam a entender a extensão dos efeitos do perdão de Deus em nossa vida.
Nos versos um e dois Davi pede a Deus respeitosamente perdão e purificação. Interessante esse pedido. Na primeira carta de João, cap. 1: 9 nós lemos que Deus é fiel para nos perdoar e nos purificar. Em João, 19:34, lemos que “um dos soldados feriu a Jesus no lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.” O sangue é o símbolo do perdão e a água o símbolo da purificação. Com a morte de Cristo, não só é perdoado todo pecado, mas também é purificado aquele que o praticou. Davi rogava a Deus por perdão e purificação. E o terceiro pedido do rei que encontramos nessa oração do Salmo 51 está no verso 10: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto”. Davi pedia transformação interior.
O perdão isenta de condenação. Jesus já pagou o preço e sofreu a sentença! A purificação limpa a sujeira deixada naqueles que se envolvem com o pecado. E a transformação interior, como resultado da atuação do Espírito Santo na vida humana, capacita o indivíduo a viver segundo a vontade de Deus falada nas Escrituras.
Alguns julgam que para reclamar a bênção do perdão devem primeiro demonstrar que estão reformados. Mas isto não é assim! Jesus aprecia que nos acheguemos a Ele assim como somos, pecadores e desamparados. Podemos ir a Ele com todas as nossas fraquezas, leviandades e pecaminosidade. É Seu prazer nos receber em Seus braços de amor, perdoar nossos pecados e nos purificar de toda a impureza.
Aqui é onde milhares erram – não crêem que Jesus lhes perdoa. Mas devemos saber que é privilégio de todos os que quiserem, pois, perdão é oferecido amplamente para todo pecador.
As promessas de Deus são para você e para mim também. Elas são para todo transgressor arrependido. Força e graça foram providas por meio de Cristo, sendo levadas para todo aquele que crê. Ninguém é tão pecaminoso que não possa encontrar força, pureza e justiça em Jesus.
Deus não trata conosco da mesma maneira que os homens tratam uns aos outros. Os pensamentos do Pai Celestial são de misericórdia, amor e terna compaixão. Em Isaías 55:7, temos o convite: “Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem mau os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o vosso Deus, porque grandioso é em perdoar.” Que promessa maravilhosa! Deus é grandioso em perdoar!
Satanás está pronto para tirar de nós toda esperança e todo raio de luz. Mas não devemos consentir com as insinuações do inimigo. Não devemos dar ouvidos ao tentador e sim lembrarmos que Jesus morreu para que pudéssemos viver. Deus desfaz nossas transgressões como a névoa, os pecados, como a neblina (Isaías 44:22). Sim, temos um Pai compassivo que está pronto para nos perdoar. A parábola do filho pródigo, registrada em Lucas, capítulo 15 confirma essa verdade. Mesmo possuindo riquezas e conforto, o filho mais jovem pediu ao pai sua parte da herança e saiu em busca de prazeres numa terra distante.
Tendo gastado toda a sua fortuna foi abandonado pelos próprios amigos na mais completa miséria. E enquanto cuidava de porcos, se alimentava da comida deles e lembrava-se de quantos empregados na casa do pai estavam em melhores condições. Então decidiu o que haveria de dizer ao pai e tendo se levantado partiu em direção à casa paterna.
No verso 20 está a atitude do pai para com o filho pródigo. “E quando ainda estava longe, seu pai o viu, e movido de íntima compaixão, correndo o abraçou e o beijou.” É assim que Deus promete tratar a todos nós que nos extraviamos nos caminhos do pecado.
Em Jeremias 31:3 temos outra declaração maravilhosa: “Com amor eterno te amei, com bondade te atrai.”, cada desejo de voltar para Deus não é senão a atuação do Espírito Santo, atraindo o perdido para o amante coração paterno.
O filho pródigo caiu aos pés do pai e reconheceu ser indigno de ser tratado como filho. Pede para ser recebido como empregado. Mas o pai não só perdoa, purifica e também ordena que a condição do filho seja transformada. Vestes, anel e uma grande festa marcam o retorno ao lar. E é assim que Deus quer fazer conosco. Ao aceitarmos Seu convite e nos aproximarmos dele como somos e estamos o infinito amor do Pai nos oferece o perdão, purifica e nos transforma.
Além de ser nosso advogado (I João 2:1) Jesus também promete jamais se lembrar de nossos pecados (Salmo 103:12). Não se esqueça disso. Deus quer jogar todo o teu pecado nas profundezas do mar (Miquéias 7:19) e oferecer uma vida renovada pelo Seu amor e pelo Seu poder. É só querer. É só aceitar agora.


sábado, 10 de setembro de 2011


A Bíblia nos diz que devemos estar satisfeitos com o que temos, pois Deus nunca vai nos deixar ou abandonar (Hebreus 13:5). Para combater o sentimento de inveja, precisamos nos tornar mais parecidos com Jesus e menos como nós mesmos. Podemos fazer isso ao estabelecer um relacionamento pessoal com Deus. Podemos conhecê-lo mais através de estudos bíblicos, oração e de ir à igreja. À medida que aprendemos a servir a outras pessoas ao invés de nós mesmos, nossos corações começam a mudar. “Não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12:2).

"O que a Bíblia diz sobre a inveja?"

Quando usamos a palavra inveja, estamos nos referindo a ter inveja de alguém por ter algo que não temos. Esso tipo de inveja é um pecado e não é uma característica de um Cristão – isso só mostra que ainda estamos sendo controlados pelos nossos próprios desejos (1 Coríntios 3:3). Gálatas 5:26 diz: “Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros”.

A Bíblia nos diz que devemos ter um tipo de amor tão perfeito quanto o que Deus tem por nós. “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal” (1 Coríntios 13:4-5). O mais que nos focalizamos em nós mesmos e nos nossos próprios desejos, o menos poderemos nos focalizar em Deus. Quando endurecemos nossos corações para a verdade, não podemos nos voltar a Jesus e deixar que Ele nos cure (Mateus 13:15). No entanto, quando deixamos que o Espírito Santo nos controle, Ele vai produzir em nós o fruto da nossa salvação, que são amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (Gálatas 5:22-23). Tiago 3:15 diz: “Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, diabólica”.
Ter inveja indica que não estamos satisfeitos com o que Deus tem nos dado.



A inveja é pior que o ódio, inveja acaba com a reputação, provoca homicídios, abala o círculo de amizades, arruína negócios, faz adoecer a alma...
A pessoa invejosa tem uma característica singular - é sempre a outra. Todo mundo admite ter algum defeito: preguiça falta de organização, pavio curto, orgulho grande, "Perfeccionismo". Mas aceitar e dizer em alto e bom som que se tem inveja é coisa rara. Acontece que todos, nem que seja apenas em determinado momento da vida, PASSAMOS POR ESSE TIPO DE SENTIMENTO. Segundo os psicanalistas (só por conhecermos nossa própria inveja que conseguimos reconhecê-la no outro explica ainda, "Esse sentimento está necessariamente ligado a uma sensação de impotência".
"(A inveja aparece quando reconhecemos em alguém uma qualidade que gostaríamos de ter, mas acreditamos que não temos, ou não podemos ter”, Seria quase uma admiração). Mas quando, por causa de nosso sentimento de impotência, essa admiração vem acompanhada daquela vontade sofrida de destruir o bem alheio, isso é inveja. "A dificuldade de se admitir esse sentimento vem exatamente do fato de que isso seria admitir uma falta ou impotência que acreditamos ter". A vontade de destruir que acompanha a inveja é muito facilmente observada em crianças que, por exemplo, quebram o brinquedo do amiguinho.


 

Nos adultos é mais discreta e costuma aparecer principalmente por meio da fofoca. Como todo mundo sabe que não é perfeito, todo mundo está sujeito a invejar quando se depara com alguém que tem exatamente aquilo que nos falta.
Nessa hora, o que acontece não é segredo: não dá para segurar os comentários depreciativos sobre aquilo que a gente no fundo queria tanto. Os homens reparam na vizinha porque, também, com uma saia daquele tamanho...
"É natural olhar para algo que o outro tenha conquistado e se dar conta de que gostaria de possuir ou conquistar também. É uma forma também de defesa do próprio fracasso - ao invés de olhar para si, aponta-se o outro de forma destrutiva, deturpada", afirma Uma psicoterapeuta.


 
Esse olhar para o outro é uma das características do sentimento. "Dessa forma, o invejoso deixa de olhar para si mesmo".
Olhar para si e reconhecer um sentimento de inveja é um grande passo. "Quem sente vergonha é porque está com a inveja ruim, aquela que prejudica que destrói o outro e a si mesmo". E que ninguém se engane, porque sentir inveja dói. Mais no invejoso do que no invejado, independentemente da crença no olho-gordo de cada um. Perceber o sentimento é o começo da melhor forma de trabalhá-lo e até usá-lo a seu favor. "É um processo de olhar para si e descobrir quais são as qualidades que gostaria de ter e então trabalhar para consegui-las". Claro que isso envolve também muita aceitação.
 "A pessoa terá que usar seu discernimento para aceitar o que pode correr atrás e o que não adianta. Não adianta querer ser filha da Rainha Elizabeth, porque é impossível". Mas, com honestidade e realismo, no fim vale a sabedoria popular: não inveje, trabalhe.
              


A inveja é um sentimento destrutivo quando não controlado. No trabalho ou em qualquer outro ambiente ela destrói as relações. Sentir inveja da amiga pela formação ou até mesmo pela família que tem é muito comum hoje em dia. Existem pessoas que se preocupam em saber quanto à pessoa ganha, com o que gasta, se viaja e esquece-se de viver sua própria vida ou de ir à busca de suas próprias conquistas. É muito ruim o sentimento de inveja, pois acredito que tira a paz interior e causa tormento.
As pessoas não admitem que sentem inveja, sequer tomam conhecimento de discussões sobre o assunto. O importante é cuidar de si e dos seus, deixando o alheio para o alheio.
Bom começo para a felicidade!


Considero a inveja uma das complexidades humanas e que passa sim pela vida de todo mundo. Apenas tenho defendido uma tese com duas variantes: há pessoas efetivamente invejosas e pessoas que percebem a sensação da inveja na própria vida. Considero como diferença entre uma e outra, a concepção de afirmar que a pessoa invejosa é aquela que de fato se obstina em destruir a outra pessoa que lhe desperta inveja, a lançar mão de recursos as vezes até vis, geralmente mentirosos.
Quanto a outra vertente, creio se tratar de algo pra lá de normal nesta condição humana, que é uma espécie de percepção da " inveja batendo para entrar ", ilustremos assim, e se quem quer que seja "não abrir a porta", ela não entrará, e logo, não produzirá o danoso efeito, e então nem ao menos se tornará a efetiva inveja.
No meu ponto de vista, querer ter algo que você observa que um outro tem, [ em termos materiais, claro ] não significa necessariamente uma inveja, porque a inveja seria sentir raiva do que ou porque o outro tem. Creio que seja importante esta análise um pouco mais detalhada, porque confundem muito uma coisa com outra. Por exemplo, observar uma bela casa ou um ótimo automóvel e desejar ter algo parecido, porque aquilo lhe agradou, não significa inveja, se a pessoa observadora, não sentiu pesar pelo fato daquelas pessoas terem a bela casa ou o ótimo automóvel. O ser humano é uma criatura destinada a evoluir a melhorar de maneira efetiva, e cada um carrega dentro de si este desejo de evolução. Então, creio que por esta natural dádiva humana de ser uma criatura destinada a evoluir, seja normal também, querer uma casa melhor, uma mobília melhor, um automóvel melhor, etc. Assim crendo, diria que a condição que possibilita que a pessoa não seja efetivamente invejosa, mas tão somente alguém que, de vez em quando, ouve a inveja "bater à porta" e não a deixa entrar, é a descoberta DE QUE PARA MIM É IMPORTANTE O QUE ME BASTA. O que acabo de escrever, é baseado mais em mim mesmo do que no que observo na convivência social, mesmo porque, esta questão de inveja trata de algo que provavelmente habite o profundo do íntimo das pessoas. Porém, como cada uma lida com isto, classificando-as como invejosas ou não, pode nos aproximar da fronteira da injustiça.
Mas muitas vezes é notório e de fácil classificação, quando observamos a obstinação de uma pessoa em desqualificar outra, geralmente lançando mão de mentiras, de uma maneira freqüente e praticamente doentia. Aí sim, é obvio que habita e reina na pessoa assim obstinada, uma IMENSA INVEJA podendo se tornar até mesmo algo patogênico.


 



 Para finalizar mesmo, recomendo a leitura da Bíblia Sagrada. É sério! Principalmente a leitura do Novo Testamento. Já li muitas vezes [ O Novo Testamento ] e continuo com a impressão de que ainda li pouco. Posso testemunhar que ao fazer esta descoberta, de uma maneira substancial, que creio ser possível apenas através da leitura da Bíblia Sagrada, a palavra inveja, raramente lhe é apresentada. Não há como explicar, é preciso viver a experiência é uma
expectativa para que quem quer que seja, consiga vivê-la.
Pegue sua Bíblia Sagrada, faça uma oração à Deus e  comece a ler. TENHO CERTEZA DE QUE SE SURPREENDERÁ COM AS REVELAÇÕES! JÁ QUE ESTAMOS FALANDO DA BIBLIA VAMOS VER O QUE ELA TEM A NOS DIZER A RESPEITO DA INVEJA!!!