segunda-feira, 28 de maio de 2012

Receita infalível para o desânimo...




Falando de desanimo ou  sono espiritual querendo tomar conta de nossas vidas. Isso é complicado porque é uma situação que só depende de nós. Ninguém pode buscar por mim e nem lutar por mim; se eu não buscar, nada vai acontecer!! Não estou falando que a intercessão não tem poder, estou falando que, nesse caso: sono espiritual, desânimo, depende de mim, pq é a minha saúde espiritual que está em jogo. É a mesma coisa de uma enfermidade. Se eu estou doente, eu preciso procurar um médico e me tratar, é a mesma coisa na vida espiritual, se estou desanimada, notando algum tipo de "sintoma" de doença, eu preciso buscar ajuda, cura... E quem é o dono da cura? Quem é o Médico dos médicos? JESUS. Ele, só Ele pode me curar, só Ele pode sarar, só Ele pode renovar, restaurar e restituir... eu já  experimentei uma receita infalível para o desânimo espiritual: BÍBLIA SAGRADA.. É começar a ler com entendimento do Senhor q todo sintoma diabólico vai embora! E assim como todo tratamento exige o uso do medicamento rigorosamente nos horários específicos, na vida espiritual também é assim. Temos que ler a Bíblia em todo tempo, jejuar, orar, louvar, adorar... Esses são remédios eficazes no tratamento espiritual. Dê adeus ao desânimo espiritual fazendo uso da medicação infalível do nosso Médico dos médicos...

Depressão, desespero extremo
O termo "deprimido" significa literalmente, "pressionado para baixo", ou seja, sem a liberdade normal de movimentação. Saul estava deprimido, pois se sentia rejeitado Havia sido escolhido para ser rei e prometido obedecer à Palavra de Deus; no entanto, resolveu criar suas próprias regras em vez de seguir os preceitos do Senhor e, quando confrontado colocou a culpa em outras pessoas. (1 Samuel 15.24)
David ao serviço de Saul   A BÍBLIA DIZ QUE :
14 Ora, o Espírito do Senhor retirou-se de Saul, e o atormentava um espírito maligno da parte do Senhor.
15 Então os criados de Saul lhe disseram: Eis que agora um espírito maligno da parte de Deus te atormenta;
16 dize, pois, Senhor nosso, a teus servos que estão na tua presença, que busquem um homem que saiba tocar harpa; e quando o espírito maligno da parte do Senhor vier sobre ti, ele tocara com a sua mão, e te sentirás melhor.
17 Então disse Saul aos seus servos: Buscai-me, pois, um homem que toque bem, e trazei-mo.
18 Respondeu um dos mancebos: Eis que tenho visto um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar bem, e é forte e destemido, homem de guerra, sisudo em palavras, e de gentil aspecto; e o Senhor é com ele.
19 Pelo que Saul enviou mensageiros a Jessé, dizendo: Envia-me Davi, teu filho, o que está com as ovelhas.
20 Jessé, pois, tomou um jumento carregado de pão, e um odre de vinho, e um cabrito, e os enviou a Saul pela mão de Davi, seu filho.
21 Assim Davi veio e se apresentou a Saul, que se agradou muito dele e o fez seu escudeiro.
22 Então Saul mandou dizer a Jessé: Deixa ficar Davi ao meu serviço, pois achou graça aos meus olhos.
23 E quando o espírito maligno da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito maligno se retirava dele.
Sob a orientação de Deus, Samuel ungiu Davi para ser rei (1 Samuel 16.13). O Espírito do Senhor desceu sobre Davi, mas "tendo-se retirado de Saul o Espírito do Senhor da parte deste espírito maligno o atormentava" (1 Samuel 16.14). Esse "espírito maligno" poderia ser entendido como uma forma de depressão.
A depressão de Saul se originou no fato de ele haver desobedecido à direção clara de Deus para sua vida. Davi, por outro lado, foi rejeitado por sua própria família e por alguns de seus melhores amigos ao seguir a direção de Deus. Quando isso aconteceu, ele clamou ao Senhor (Salmo 6.2-3).
Deus tem um plano para curar as pessoas de depressão. Eles devem:
1) Ansiar por Ele (Sl 42.1-2)
2) Clamar por Ele (Sl 3.4)
3) Descansar nEle (Sl 3.5; 23.2)
4) Saber que Ele ouve (Sl 6.8; 31.22)
5) Estar ciente de que Ele vê (Sl 10.14; 34.15)
6) Reconhecer que Ele cuida (Sl 17.8; 34.18)
7) Louvar a Deus (Sl 35.17-18; 109.30)
8) Buscar a restauração e dar testemunho a outros (Sl 51.12-13)
9) Continuar orando (Sl 55.16-17,22)

Davi é escolhido e ungido
1- Então disse o Senhor a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche o teu vaso de azeite, e vem; enviar-te-ei a Jessé o belemita, porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.
2- Disse, porém, Samuel: Como irei eu? pois Saul o ouvirá e me matará. Então disse o Senhor: Leva contigo uma bezerra, e dize: Vim para oferecer sacrifício ao Senhor:
3- E convidarás a Jessé para o sacrifício, e eu te farei saber o que hás de fazer; e ungir-me-ás a quem eu te designar.
4- Fez, pois, Samuel o que dissera o Senhor, e veio a Belém; então os anciãos da cidade lhe saíram ao encontro, tremendo, e perguntaram: É de paz a tua vinda?
5- Respondeu ele: É de paz; vim oferecer sacrifício ao Senhor. Santificai-vos, e vinde comigo ao sacrifício. E santificou ele a Jessé e a seus filhos, e os convidou para o sacrifício.
6- E sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe, e disse: Certamente está perante o Senhor o seu ungido.
7- Mas o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque eu o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coraçao.
8- Depois chamou Jessé a Abinadabe, e o fez passar diante de Samuel, o qual disse: Nem a este escolheu o Senhor.
9- Então Jessé fez passar a Samá; Samuel, porém, disse: Tampouco a este escolheu o Senhor.
10- Assim fez passar Jessé a sete de seus filhos diante de Samuel; porém Samuel disse a Jessé: O Senhor não escolheu a nenhum destes.
11- Disse mais Samuel a Jessé: São estes todos os teus filhos? Respondeu Jessé: Ainda falta o menor, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda trazê-lo, porquanto não nos sentaremos até que ele venha aqui.
12- Jessé mandou buscá-lo e o fez entrar. Ora, ele era ruivo, de belos olhos e de gentil aspecto. Então disse o Senhor: Levanta-te, e unge-o, porque é este mesmo.
13 - Então Samuel tomou o vaso de azeite, e o ungiu no meio de seus irmãos; e daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi. Depois Samuel se levantou, e foi para Ramá.

Davi era segundo o coração de DEUS
(I Samuel 13:13) - Então disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o SENHOR teu Deus te ordenou; porque agora o SENHOR teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre;
(I Samuel 13:14) - Porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o SENHOR para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o SENHOR, que seja capitão sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o SENHOR te ordenou.
(Salmos 51:1) - TEM misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.
(Salmos 51:4) - Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.
(Salmos 51:10) - Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.
(Salmos 51:12) - Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.
(Salmos 51:13) - Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão.

Quem foi Davi?

Quando pensamos em Davi, logo nos vem a mente que ele era pastor, poeta, matador de gigante, rei e antepassado de Jesus ― em resumo, um dos maiores homens do AT. Mas existe uma outra relação junto a esta: traidor, mentiroso, adúltero e assassino. A primeira lista fornece as qualidades que todos nós gostaríamos de ter; a segunda, as que poderiam ser reais a nosso respeito. A Bíblia não faz esforço algum para esconder os fracassos de Davi. Ele ainda é lembrado e respeitado por seu coração voltado para Deus. Quando aprendemos que compartilhamos mais dos fracassos de Davi do que de suas fraquezas, deveríamos ficar curiosos para descobrir o motivo pelo qual o Senhor se refere a ele como “o homem segundo o meu coração”
(Atos 13:22) - E, quando este foi retirado, levantou-lhes como rei a Davi, ao qual também deu testemunho, e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade.

Davi, apesar de suas fraquezas, possuía uma fé inabalável na fiel e poderosa natureza de Deus. Foi um homem que viveu com grande prazer. Ele pecou, mas foi rápido em confessar suas. Suas confissões eram de coração, e seu arrependimento genuíno. Nunca negligenciou o perdão de Deus ou tomou sua bênção como uma concessão. Em troca, o Senhor nunca lhe negou seu perdão ou as retribuições de suas ações. Davi experimentou a alegria do perdão mesmo quando teve que sofrer as conseqüências de seus pecados.

Nossa tendência é inverter os papéis. Na maioria das vezes preferimos evitar as conseqüências a experimentar o perdão. Embora tenha cometido um grande pecado, Davi deliberadamente não repetiu o mesmo erro. Ele aprendeu com suas falhas porque aceitou o sofrimento que estas lhe trouxeram. Com freqüência parece que não aprendemos com nossos enganos ou com as conseqüências resultantes deles. Quais mudanças seriam necessárias para que Deus encontrasse esse tipo de obediência em você?

Graça, super graça...

Quão feliz é a vida d quem tem Jesus não é?!! Deus é muito bom e sua misericórdia dura para sempre.. Quando entendemos sobre a graça d Deus, nossa vida muda... Deixamos de ser tão orgulhosos e passamos a reconhecer q sem Deus não somos nada, nada mesmo. Que ele é tudo e q Ele quer ser tudo em nós... se soubéssemos como e qto precisamos da Sua graça para viver e o qto Ele tem para derramar.. É como se Ele estivesse nos dando o oceano e nós virássemos p Ele e disséssemos: "Não quero o oceano, um rio me satisfaz!" estamos satisfeitos com muito pouco.. E q nosso orgulho e vaidade muitas vezes nos impedem de aceitar o muito de Deus! Isso é muito profundo e tremendo sabe.. Mas ao mesmo tempo, simples!! Uma simples e sincera oração muda isso. quero virar para Deus e dizer: 'Pai, eu sei q tens o melhor pra mim e quer me dar muito mais do que eu posso imaginar e sei também que minha carne não me deixa ver além do que meus olhos podem ver, mas eu não estou aqui para atender os desejos da minha carne, eu estou aqui para atender os Seus desejos, pra viver a vida que o Senhor sonhou pra mim e se isso quer dizer negar minha carne, deixar o orgulho e a vaidade de lado, eis me aqui.. Eu deixo isso tudo de lado para te servir e viver para Ti porque Tu és tudo pra mim e eu não quero viver sem o Senhor... Em Teu Nome JESUS eu oro, amém!! Q Deus nos ajude a ser sinceros com Ele, podemos enganar quem quisermos, mas a Deus, não...
FIKEM NA PAZ!!

O tesouro na vida de uma pessoa


 
"Não acumulem neste mundo tesouros que podem ser devorados por traças, corroídos pela ferrugem ou - pior! - roubados. Prefiram um tesouro no céu, pois ali estará a salvo das traças, da ferrugem e dos ladrões. Não parece óbvio? Saibam que o lugar em que vocês mais desejam estar é perto do seu tesouro; e é lá que acabará indo parar." Mt 6, 19-21. Olá pessoas lindas e cheias de Deus!! Há muito tempo não apareço por aqui, estou em falta rs.. Mas de agora em diante estarei pelo menos uma vez por semana compartilhando uma palavra de Deus!! Hoje quero falar sobre TESOURO. O tesouro na vida de uma pessoa é aquilo que é mais valioso para ela, aquilo que ela preza, vela e cuida, porque sabe que se perder, perde tudo! Hoje eu penso o quão miserável é a vida de quem busca tesouros terrenos, seja dinheiro, fama, influência, amizades, família... Não que isso não seja importante, mas em nada disso deve estar o nosso coração! A partir do momento que uma pessoa entende que ela está nesse mundo de passagem ela muda a sua forma de pensar, ela deseja ardentemente acumular tesouros no céu, porque lá não tem o risco dele se perder, ou ser roubado ou ser comido por traças, lá ele estará seguro e quem o guardará é o Senhor todo Poderoso! Tudo aquilo que é importante para mim no momento é visto como um tesouro, o que eu devo fazer? Guardá-lo num banco ou num cofre? Ou guardá-lo em Cristo que não permitirá que nada aconteça com ele? Você que espera seu escolhido (a) no Senhor, por exemplo, esse é o seu tesouro. Não é bem melhor guardar esse tesouro no Senhor que cuidará para que nada de mal lhe aconteça? E te devolverá na hora certa, no momento certo pra você saber usá-lo da forma correta e digna? Coloque tudo na sua vida nas mãos do Senhor, mas sem querer tomar de volta. E peça a Deus que te ajude a entregar seu tesouro nas mãos dele pra que Ele cuide, e a partir do momento que você fizer isso, comece a acumular tesouros no céu. Que é o desejo de agradar a Deus, ganhar mais almas para o reino, praticar justiça, ser misericordioso, limpo de coração, pacificador e mais e mais frutos do Espírito Santo que Ele te mostrará com o tempo. Não vale a pena depositar nossa confiança, dedicação e amor nas coisas deste mundo, por isso que há tantas decepções! Viva com amor sim, confie, se dedique enquanto estiver nessa terra, o que quero dizer é que o mais importante é o reino de Deus, é o céu, é a presença do Pai e estar com o coração nele, porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração!!
Que o Senhor nos perdoe por ter juntado "tesouros" nessa terra e que a partir de agora nos preocupemos em acumular tesouros no céu, que o nosso coração esteja nele, somente nele!!

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Deixar Brilhar a Luz do Evangelho



Deixar Brilhar a Luz do Evangelho (Lucas 8:16-25) Se Cristo acendeu sua lâmpada, confie em que ele a colocará no velador certo, de onde poderá brilhar melhor. Sua luz está acesa para iluminar! O relacionamento mais íntimo com Jesus não é o da natureza, mas o da graça. Ouvir em seu coração a voz de Deus, ouvi-la em sua Palavra e na Providência e, então, agir na forma que ela determina, colocará você no mais intimo relacionamento com o Senhor. Se você unir sua vida a Cristo, prepare-se para enfrentar tempestades. Mas elas não o podem ferir. Homens e demônios se enraivecerão contra você; mas o poder deles é limitado. Jesus controla as ondas. Dele é o mar, pois ele “o fez” (S1. 95.5). Se ao menos você puder incluir sua pessoa e Cristo no pronome “nós” do versículo 24, nunca perecerá, mesmo que haja contra você tantos demônios quanto há telhas nos telhados das casas. (Isaias 54.17.)
O diabo está sempre “ligado” e sempre irá usar de suas artimanhas sujas para bloquear o brilho que Deus deu á você. E ele é tão sujo, que às vezes usa da fragilidade momentânea de alguém para te ofender e entristecer e assim atingir o seu objetivo, te ver irritado, injuriado, triste, magoado, ou seja, com brilho ofuscado. Não permita! Conclamo á todos que se empenhem em não permitir que o diabo nos impeça de ser a benção que somos na totalidade.

Deixe a sua luz brilhar!
Muitas vezes nos deparamos com este mundo onde tudo parece estar perdido, em que só há guerras, perseguições, tribulações, fome, pestes e coisas horrendas, mas que, ainda há algo especial que se trata de um povo que não se submete a esse mundo, tendo o objetivo de diferenciá-lo e mudar os o que ainda estão em trevas. Esse povo são: o Sal desta terra e a Luz deste mundo.
www.MidiaGospel.Com.br Estudo Biblico Jesus DEUS.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br
.

* - Temperando este Mundo

Neste mundo fomos chamados, escolhidos para sermos diferentes, para darmos exemplo de retidão e por isso são chamados para ser o Sal desta terra (Mt. 5:13) para que possam dar um tempero todo especial a este mundo, com atitudes (Lc. 14:34), palavras (Cl. 4:6) e Amor.

* - Conservando

Quando fomos chamados para se tornar o Sal da terra, também fomos instruídos a conservar a pureza da santidade e da doutrina de Cristo, assim como o Sal tem que conservar os alimentos para que não se estrague e se perca o sabor (Lc. 14:36), bem como para não nos tornarmos inúteis e insípidos e pisados por este mundo e por Satanás (Mt. 5:13).

* - Brilhando em meio às trevas

Jesus também deixou bem claro que seríamos a Luz do Mundo (Mt. 5:14). Como Luz devemos brilhar na escuridão (Jo. 1:5), não se podendo esconder o crente (Mt. 5:15). Outros sim, como luz, temos que brilhar intensamente e continuamente (Pv. 13:9) a fim de sermos exemplos para os gentios (Is.42:6) anunciando a Verdade (Cristo) ao mundo para libertá-los das Trevas (Is. 42:7) e salvá-los das garras de satanás (At.13:47).

* -  Como Brilhar neste mundo?

Para brilharmos neste mundo é preciso ter o Brilho do Espírito Santo em nossas vidas para que com isso possamos brilhar (Jó. 29:3) e por isso precisamos ter os seus elementos principais: Bondade, Justiça e Verdade (Ef. 5:9).
É nosso dever como Cristãos proclamar esse reino da Luz para libertar aqueles que ainda estão em trevas. Outrora, éramos inimigos de Deus e através de seu amor em Cristo, deixamos de ser inimigos e passamos a ser chamados Filhos da Luz (Ef. 5:8). Temos o dever de temperar este mundo e brilhar em meio às trevas para que a Gloria de Deus seja manifestada em nossas vidas e o seu nome seja Exaltado.


Esta é a palavra que quero deixar pra você. Você é uma benção! Você é capaz! Você é escolhido por Deus. Nossa luta não é contra carne, ou seja, contra pessoas, mas contra as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais.

Deixe a glória de Deus brilhar.



Muitos cristãos acham  entediante pensar na vida celestial.

O mesmo  pensamento têm a respeito de adoração.
Porém, não deveria ser dessa forma.
Não há nada que possa produzir mais gozo e prazer do que estar na presença do Senhor.
Cada momento em oração é um refrigério para a nossa alma e um motivo de júbilo para nossos corações.
A oração nos fortalece, nos anima, nos faz recuperar as forças espirituais.
Quando gastamos um pouco de nosso tempo diante de Deus, adorando-O e glorificando o Seu nome, nos sentimos fortalecidos e somos capazes de enfrentar, com muito mais coragem e ousadia, os problemas que possam surgir à nossa frente.

O verdadeiro cristão precisa viver abundantemente.

E para que isso aconteça, não pode se afastar da presença do Senhor.
Desta forma ele obtém vitórias em suas lutas, resplandece em seu testemunho, brilha e ilumina os ambientes por onde passa.
A glória do Senhor está presente em tudo o que faz.
Ele não se desvia do caminho porque seus olhos espirituais estão dirigidos a Deus e é o Senhor quem o faz caminhar com firmeza e segurança.

Como diz um antigo cântico jovem:  "Deixe a glória de Deus brilhar, deixe a glória de Deus brilhar, Deixe a glória de Deus brilhar, deixe a glória de Deus brilhar; Deixe a glória de Deus brilhar, Deixe a glória em seu rosto brilhar; Deixe a glória de Deus brilhar em seu rosto, deixe a glória de Deus brilhar."
Você acha que orar e adorar ao Senhor é chato?

Você tem agido com indiferença quando seus irmãos se reúnem para buscar a presença do Senhor?
Talvez seja exatamente isso que esteja faltando para que você seja feliz e tenha uma vida vitoriosa.

Ainda há tempo de você deixar a glória de Deus brilhar em seu rosto.

terça-feira, 15 de maio de 2012

A Promessa Cumprida


Jesus disse que deixaria Seus discípulos por algum tempo, o que de fato fez. Durante os horas terríveis da crucificação, morte e sepultamento, dúvidas cruéis tomaram conta das mentes dos que O amavam, Ele ainda não havia sido "glorificado", e por isso a promessa do Seu Espírito ainda não tinha se concretizado.
Mas nós sabemos o que aconteceu. Deus O levantou dos mortos e Lhe deu glória. Falando a cristãos, as Escrituras dizem que Cristo veio "por amor de vós, que, por meio dele, tendes fé em Deus, o qual o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória, de sorte que a vossa fé e esperança estejam em Deus" (I Pedro 1:20, 21).
Deus tinha mandado "esperar" pelo Espírito que deveria vir. Jesus ressuscitou dos mortos e foi visto pelos Seus discípulos. Incapazes de compreender o que estava acontecendo, eles não O reconheceram a princípio, e ficaram assustados porque pensavam estar vendo um fantasma. Para confirmar sua realidade física Jesus lhes disse que tocassem nEle, e até pediu algo para comer, Um fantasma não tem carne e ossos, não é? Nem poderia comer, não é verdade?
Então, este era Jesus, não o Espírito que Ele havia prometido. Mesmo assim, Ele disse que continuassem esperando! Ainda não chegara a hora.
A promessa foi cumprida 50 dias depois, no dia de Pentecostes. Que dia! Para nós, com nossa mentalidade prática, terrena, científica, é difícil imaginar os acontecimentos impressionantes daquele dia.
"Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidas na mesmo lugar; de repente veio do céu um som, corno de um vento impetuoso, e encheu toda a usa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito santo, e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem" (Atos 2:1-4).
Tinha chegado aquele que eles deveriam "esperar"!

Que diferença faz a ênfase de uma palavra na descrição de um acontecimento de tão abaladora importância! Antes de Pentecostes a ênfase estava na palavra "pedir". "Se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito santo àqueles que lhe pedirem?" (Lucas11:13, grifo meu).
Depois de Pentecostes a ênfase estava na palavra "receber". Pedro, em seu Sermão cheio de poder, naquele mesmo dia, disse: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo" (Atos 2:38, grifo meu).
Estas são as boas novas: não estamos mais esperando pelo Espírito Santo – Ele está esperando por nós. Não estamos mais vivendo em tempo de promessa, mas em dias de cumprimento.
Os que faziam parte da Igreja Primitiva, aqueles homens, mulheres e crianças que conheciam a realidade do poder do Espírita Santo, foram totalmente transformados. O ímpeto de poder que eles experimentaram no dia de Pentecostes é característico da época que nos deu o Novo Testamento. O Espírito Santo foi prometido, a promessa foi cumprida, os discípulos foram transformados, e a glória disto tudo para nós é que Ele está presente em todo crente verdadeiro hoje em dia. Assim, o Seu poder também está à disposição de nós hoje.
Quem é esta Pessoa que Cristo prometeu enviar à terra em Seu lugar? Quem é esta Pessoa que Ele usa para transformar a natureza humana? Quem é esta Pessoa que para dar a você poderes sobrenaturais para enfrentar qualquer dificuldade? E como você e eu podemos experimentar Seu poder em nossas vidas todas os dias?
Descobriremos.

QUEM  É  O  ESPÍRITO  SANTO ?
Alguns anos atrás um professor de quinto ano perguntou aos alunos de sua classe se alguém poderia explicar o eletricidade. Um rapaz levantou a mão. O professor, perguntou: – Como você poderia explicar, Jimmy?
Jimmy coçou a cabeça, pensou, e respondeu: – Ontem à noite eu ainda sabia, mas agora esqueci!
O professor sacudiu tristemente a cabeça e disse para a classe: – Que tragédia! A única pessoa no mundo que já entendeu a eletricidade, e ele esqueceu!
Este professor está na mesma situação que você e eu quando estudamos a doutrina da Trindade. Aceitamos o fato de que a Espírito Santo é Deus, assim como o Pai e o Filho são Deus. Mas quando temos de explicar, estamos num beco sem saída. Nos últimos anos foi falado e escrito sobre a Espírito Santo possivelmente mais do que sobre qualquer outro terna religioso, excetuando o ocultismo. Isto aconteceu principalmente por causa da influência do movimento carismático, que tem sido chamado de "a terceira força" do cristianismo, ao lado do catolicismo e protestantismo. O movimento carismático mais recente, que tem algumas de suas origens no pentecostalismo histórico e dá ênfase ao Espírito Santo, este atualmente permeando profundamente a maioria das principais denominações, bem como o catolicismo. Podemos sentir como o assunto é vasto, e como sabemos pouco sobre ele. Mesmo assim, Deus revelou em Sua Palavra tudo que devermos saber.
Surgirão neste livro muitas perguntas que crentes confusos e às vezes incultos tentaram responder. De fato, milhões de cristãos em todos os continentes estão fazendo estas perguntas. Estão procurando e merecem respostas bíblicas.
Por exemplo: O que é o batismo da Espírito santo? Quando ocorre? Falar em línguas é possível ou necessário hoje em dia? Existe urna experiência chamada "segunda bênção"?
Para iniciar nosso estudo, temos de colocar bem no começo uma pergunta crítica: Quem é o Espírito santo?

O Espírito Santo é uma Pessoa
A Bíblia ensina que o Espírito Santo é uma pessoa. Jesus nunca chamou o Espírito Santo de "isto" quando falava dEle. Em João 14, 15 e 16, por exemplo, Jesus falou do Espírito Santo como "Ele", porque Ele não é uma força ou uma coisa, mas uma pessoa. Falta instrução ou mesmo discernimento a alguém que trata o Espírito Santo como "isto".
Na Bíblia vermos que o Espírito Santo tem intelecto, emoções e vontade. Além disto, a Bíblia diz que Ele faz coisas que uma força não faria, somente uma pessoa real.
Ele fala: "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas, Ao vencedor dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus" (Apoc. 2:7).
"E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado" (Atos 13:2).
Ele intercede: "Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havermos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis" (Rom. 8:26, IBB).
Ele testifica: "Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei do parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim" (João 15:26).
Ele guia: "Então disse o Espírito a Filipe: Aproxima-te desse carro, acompanha-o" (Atos 8:29).
"Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus." (Rom, 8:14).
Ele ordena: "E percorrendo a região frígio-gálata, tendo sido impedidos pelo Espírito santo de pregar a palavra na Ásia, defrontando Mísia, tentavam ir para Bitínia, mas a Espírita de Jesus não o permitiu" (Atos 16:6, 7).
Ele conduz: "Quando vier o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas que hão de vir" (João 16:13).
Ele nomeia: "Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho. Pois o Espírito Santo os pôs como guardiães do rebanho, para pastorear a Igreja de Deus, que ele comprou por meio do sangue do Seu própria Filho" (Atos 20:28, BLH).
Pode-se mentir para Ele: "Então disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus" (Atos 5:3, 4).
Pode-se insultá-Lo: "De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos rés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça?" (Heb. 10:29).
Pode-se blasfemar contra Ele: "Por isso vos declaro: Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra a Espírito Santo não será perdoada. Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á isto perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isto perdoado, nem neste mundo, nem no porvir" (Mat. 12:31, 32).
Pode-se entristecê-Lo: "E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes seladas para o dia da redenção" (Efés. 4:30).
Cada uma das emoções e atitudes que alistarmos são características de uma pessoa. O Espírito Santo não é uma força impessoal, como a gravidade e o magnetismo. Ele é uma Pessoa, com todos os atributos de uma personalidade. Mas não é só Pessoa; também é divino.

Fonte: Livro O ESPIRITO SANTO Billy Graham

O ANELO DO HOMEM – O PRESENTE DE DEUS

O ser humano tem dois grandes anelos. Um é por perdão. O outro é por bondade. Consciente ou inconscientemente seu ser interior anseia pelos dois. Há momentos em que até grita por eles, apesar de, em sua agitação, confusão, solidão, medo e pressões às vezes não saber pelo que ele está gritando.
Deus respondeu este primeiro pedido de ajuda, por perdão, no Calvário. Deus enviou seu único Filho a este mundo para morrer por nossos pecados, para que possamos obter perdão. Isto é um presente – o presente da salvação. Este presente está sempre à disposição de todos que admitem com sinceridade que erraram, que pecaram, Ele é dado a todos que estendem a mão e aceitam o presente de Deus, recebendo Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador. Paulo a chama de a dádiva "indescritível" de Deus (2 Cor. 9:15, NTV).
Mas Deus também ouviu o nosso segundo anseio, aquele anelo por bondade, e o respondeu no dia de Pentecostes. Deus não quer que venhamos a Cristo pela fé para depois viver derrotados, desencorajados, frustrados. Pelo contrário, Ele quer "cumprir com poder todo propósito de bondade (fazer o bem, BLH) e obra de fé; a fim de que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja glorificado em vós" (2 Tess. l :11, 12).    À grande dádiva do perdão Deus acrescenta a grande dádiva do Espírito Santo. Ele é a fonte do poder que satisfaz a nossa necessidade de escapar da fraqueza miserável que nos prende. Ele nos faz capaz de sermos realmente bons.
Se quisermos viver uma vida sensata neste mundo moderno, se quisermos ser homens e mulheres que possam viver de maneira vitoriosa, precisamos deste presente duplo que Deus nos oferece: primeiro, a obra do Filho de Deus por nós; segundo, a abra do Espírito de Deus em nós. Este foi o meio de Deus satisfazer os dois maiores desejos da humanidade: obter perdão, e ser bom.
Um amigo me disse certa vez: – Eu preciso de Jesus Cristo para minha vida eterna, e o Espírito soma para minha vida interna.
Se você crê em Jesus Cristo, está à Sua disposição um poder que pare modificar a Sua vida, mesmo em áreas tão íntimas como Seu casamento, seu relacionamento com a família e com outras pessoas. Deus, também, oferece poder que pode mudar uma igreja cansada em um corpo vivo e que cresce, um poder que pode revitalizar a cristandade.
Infelizmente este poder tem sido ignorado, mal-entendido, mal-usado. Com nossa ignorância nós causamos um curto-circuito no poder do Espírito Santo.
Muitos livros foram escritos sobre este poder, muitas orações foram feitas por este poder. Multidões de cristãos gostariam de tê-lo, mas não sabem direito o que ele é.
Quando o mundo olha para um cristão, tem em mente alguns clichês: vê o crente como uma pessoa obstinada, séria e sem senso de humor; alguém que não consegue fazer as coisas por si e por isso um "Deus como muleta"; alguém que esqueceu seu cérebro no jardim de infância.
Bem, se este clichê se aplica mesmo a nós ou à Igreja, de alguma maneira, então precisamos conhecer o poder maravilhoso e revolucionário que está exclusivamente à disposição dos que crêem em Cristo. Ninguém pode comprá-lo, ganhá-lo, exigi-lo ou usá-lo sem conhecer ames a Sua origem.

O Espírito Santo foi Prometido

Quando Jesus estava ensinando Seus discípulos, preparando-os para o que Ele sabia ser o fim, Seu coração estava preocupado com eles, porque sabia que eles estavam confusos e tristes. Posso imaginá-Lo indo de um em um, pondo seu braço ao redor do ombro deles. A cada um ele explicava em palavras simples, assim como nós o fazemos com nossas crianças, as verdades importantes que queria que eles entendessem. A certa altura Ele disse: "Agora vou para junto daquele que me enviou, e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais? Pelo contrário, porque vos tenho dito estas coisas, a tristeza encheu o vosso coração. Mas eu vos digo e verdade: Convém-vos que eu vá, porque se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei" (João 16:5-7).
Isto é uma promessa! A vinda do Espírito estava baseada sobre a palavra do Senhor Jesus Cristo. Não foram estabelecidas condições, Jesus me disse que enviaria o Consolador (ou "Ajudador") a alguns crentes, e não a outros. Nem disse que deveríamos pertencer a alguma organização especial ou estar mais alto na escala de espiritualidade do que outros. Ele disse especialmente: "Se eu for, eu vo-lo enviarei."
Quando Jesus faz uma promessa, ele não a quebra nem a esquece. Podemos duvidar da promessa de algum amigo ou de alguém da família; podemos até duvidar das nossas promessas feitas a outros. Mas Jesus nunca nos deu uma promessa que tenha alguma sombra de dúvida. 
Algumas pessoas rebaixam Jesus Cristo, chamando-O de um "grande líder" ou um dos maiores líderes religiosos do mundo, Entretanto, no tocante a promessas, é interessante contrastar suas palavras com as de outros grandes líderes religiosos ou filosóficos. Por exemplo, quando o fundador do budismo estava se despedindo dos seus seguidores, disse: "Vocês têm de ser sua própria luz!" Ou quando Sócrates estava para tomar aquele copo fatal, um dos discípulos lamentou-se, dizendo que ele os estava deixando órfãos. Os líderes das religiões e filosofias do mundo não eram capazes de prometer que nunca deixariam os seus seguidores.
Os discípulos de Jesus Cristo, no entanto, não foram deixados sós. Ele disse: "Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros" (João 14:18). É interessante notar que a palavra grega para "órfãos" é a mesma que o discípulo de Sócrates usou quando compreendeu que seu mestre o deixaria sozinho.

Fonte: Livro O ESPIRITO SANTO      /     Billy Graham

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A Segurança da Salvação


 “Estas coisas vos escrevi, para que saibais que tendes a vida eterna e para que creais no nome do Filho de Deus.” Jo 5.13

Todo cristão deseja ter a certeza da salvação, ou seja: a certeza de que, quando Cristo voltar ou a morte chegar, esse cristão irá estar com o Senhor, no céu (Fp 1.23; 2Co 5.8). O propósito de João ao escrever esta primeira epístola é que o povo de Deus tenha esta certeza (5.13). Note que João não declara em parte alguma da carta que uma experiência de conversão vivida apenas no passado proporciona certeza ou garantia da salvação hoje. Supor que possuímos a vida eterna, tendo por base única uma experiência passada, ou uma fé morta, é um erro grave. Esta epístola expõe nove maneiras de sabermos que estamos salvos como crentes em Jesus Cristo.

(a) Temos a certeza da vida eterna quando cremos “no nome do Filho de Deus” (5.13; cf. 4.15; 5.1, 5). Não há vida eterna, nem certeza da salvação, sem uma fé inabalável em Jesus Cristo; fé esta que o confessa como o Filho de Deus, enviado como Senhor e Salvador nosso

(b) Temos a certeza da vida eterna quando temos Cristo como Senhor da nossa vida e procuramos sinceramente guardar os seus mandamentos. “E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está à verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele” (2.3-5; ver também 3.24; 5.2; Jo 8.31, 51; 14.23; Hb 5.9).

(c) Temos a certeza da vida eterna quando amamos o Pai e o Filho, e não o mundo (2.15; cf. 5.4; ver o estudo).

(d) Temos a certeza da vida eterna quando habitual e continuamente praticamos a justiça, e não o pecado (2.29). Por outro lado, quem vive na prática do pecado é do diabo (3.7-10; ver 3.9 nota).

(e) Temos a certeza da vida eterna quando amamos os irmãos (3.14; ver também 2.9-11; 4.7, 12, 20; 5.1; Jo 13.34,35).

(f) Temos a certeza da vida eterna quando temos consciência da habitação do Espírito Santo em nós. “E nisto conhecemos que ele está em nós: pelo Espírito que nos tem dado” (3.24). Ver também 4.13: “Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito”.

(g) Temos a certeza da vida eterna quando nos esforçamos para seguir o exemplo de Jesus e viver como ele viveu (2.6; cf. Jo 13.15).

(h) Temos a vida eterna quando cremos, aceitamos e permanecemos na “Palavra da vida

(i) Temos a certeza da vida eterna quando temos um intenso anelo e uma inabalável esperança pela volta de Jesus Cristo, para nos levar para si mesmo. “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro” (3.2,3; cf. Jo 14.1-3).

A ESPERANÇA BÍBLICA.

A esperança, pela sua própria natureza, diz respeito ao futuro (cf. Rm 8.24,25). Porém, ela abrange muito mais do que uma simples vontade ou anseio por algo futuro. Esta esperança consiste numa certeza na alma, uma firme confiança sobre as coisas futuras, porque tais coisas decorrem da revelação e das promessas de Deus. Em outras palavras, a esperança bíblica do crente está intimamente vinculada a uma fé firme (Rm 15.13; Hb 11.1) e a uma sólida confiança em Deus (Sl 33.21,22). A salmista expressa claramente este fato mediante um paralelo entre “confiança” e “esperança”: “Não confieis em príncipes nem em filhos de homens, em quem não há salvação. Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio e cuja esperança está posta no SENHOR, seu Deus” (Sl 146.3,5; cf. Jr 17.7). Por conseguinte, a esperança firme do crente é uma esperança que “não traz confusão” (Rm 5.5; cf. Sl 22.4,5; Is 49.23); a esperança, portanto, é uma âncora para o crente através da vida (Hb 6.19,20). 
O alicerce da esperança segura do crente procede da natureza de Deus, de Jesus Cristo e da Palavra de Deus. (1) As Escrituras revelam como Deus sempre foi fiel, no passado, ao seu povo. O Salmo 22, por exemplo, revela a luta de Davi numa situação pessoal crítica, que ameaça a sua vida. Todavia, ao meditar nos feitos de Deus no passado ele confia que Deus o livrará: “Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste” (22.4). O poder maravilhoso que o Deus Criador já manifestou em favor do seu povo está exemplificado no êxodo, na conquista de Canaã, nos milagres de Jesus e dos apóstolos, e em casos semelhantes, os quais edificam a nossa confiança no Senhor como nosso ajudador (cf. 105; 124.8; Hb 13.6; ver Êx 6.7 nota). Por outro lado, aqueles que não conhecem a Deus não têm em que se firmar para terem esperança (Ef 2.12; 1Ts 4.13). (2) A plenitude da revelação do novo concerto em Jesus Cristo acresce mais uma razão para a esperança inabalável em Deus. Para o crente, o Filho de Deus veio para destruir as obras do diabo (1Jo 3.8), que é o “deus deste século” (2Co 4.4; cf. Gl 1.4; Hb 2.14; ver 1Jo 5.19). Jesus, ao expulsar demônios durante o seu ministério terreno, demonstrou seu poder sobre Satanás. Além disso, pela sua morte e ressurreição, Ele esmagou o poder de Satanás (cf. Jo 12.31) e demonstrou o poder do reino de Deus. Não é de se estranhar, portanto, o que Pedro exclama a respeito da nossa esperança: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1Pe 1.3). Jesus é, pois, chamado nossa esperança (Cl 1.27; 1Tm 1.1); devemos depositar nele a nossa esperança, mediante o poder do Espírito Santo (Rm 15.12,13; cf. 1Pe 1.13; ver Êx 17.11 nota). (3) A Palavra de Deus é a terceira base da esperança. Deus revelou sua Palavra através dos profetas e apóstolos no passado; Ele os inspirou pelo Espírito Santo para escreverem isentos de erros (2Tm 3.16; 2Pe 1.19-21). Pelo fato de que sua eterna Palavra permanece firme nos céus (Sl 119.89), podemos depositar nossa esperança nessa Palavra (Sl 119.49, 74, 81, 114, 147; 130.5; cf. At 26.6; Rm 15.4). De fato, tudo quanto sabemos a respeito de Deus e de Jesus Cristo vem da revelação infalível das Sagradas Escrituras.

A suprema esperança e confiança do crente não devem estar em seres humanos (Sl 33.16,17; 147.10,11), nem em bens materiais, nem em dinheiro (Sl 20.7; Mt 6.19-21; Lc 12.13-21; 1Tm 6.17; ver Nm 18.20), antes deve estar em Deus, no seu Filho Jesus e na sua Palavra. E em que consiste esta esperança? Temos esperança na graça de Deus e no livramento que Ele nos oferece, nas tribulações desta vida presente (Sl 33.18,19; 42.1-5; 71.1-5,13-14; Jr 17.17,18). (2) Temos esperança de que chegará o dia em que nossas tribulações cessarão aqui na terra, quando esta não estará mais sujeita à corrupção, e terá lugar a redenção (ressurreição) do nosso corpo (Rm 8.18-25; cf. Sl 16.9,10; 2Pe 3.12; ver At 24.15). (3) Temos esperança da consumação da nossa salvação (1Ts 5.8). (4) Temos a esperança de uma casa eterna nos novos céus (2Co 5.1-5; 2Pe 3.13; ver Jo 14.2 nota), naquela cidade cujo arquiteto e edificador é Deus (Hb 11.10). (5) Temos a bendita esperança da vinda gloriosa do nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo (Tt 2.13), quando, então, os crentes serão arrebatados da terra, para o encontro com Ele nos ares (1Ts 4.13-18), e, quando, então, nós o veremos como Ele é e nos tornaremos semelhantes a Ele (Fp 3.20,21; 1Jo 3.2,3). (6) Temos a esperança de receber a coroa da justiça (2Tm 4.8), de glória (1Pe 5.4) e da vida (Ap 2.10). Finalmente, temos a esperança da vida eterna (Tt 1.2; 3.7); da vida garantida a todos que confiam no Senhor Jesus Cristo e o obedecem (Jo 3.16,36; 6.47; 1Jo 5.11-13).
Com promessas tão grandes reservadas àqueles que esperam em Deus e no seu Filho Jesus, Pedro nos conclama: “estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1Pe 3.15).